A INDÚSTRIA DA FELICIDADE: A TRISTEZA SISTEMATIZADA COMO by CLEBERSON EDUARDO DA COSTA

By CLEBERSON EDUARDO DA COSTA

(a5, 132 páginas) - Dentre as muitas correntes de pensamento que, aos seus modos, procuraram e/ou procuram abordar os problemas da chamada tristeza profunda, angústia e/ou melancolia (chamada também no mundo pós-moderno de depressão) apresentar-se-ão, aqui, algumas delas:
1-As de caráter psiquiátrico e/ou psicológico;
2-As de caráter antropológico;
3-As de caráter teológico;
4-E as de caráter filosófico-existencialista.
II
Na unidade I, abordaremos a primeira corrente, que é formada por psiquiatras e/ou psicólogos que, doravante, definem a depressão, chamada por eles de tristeza profunda, como sendo uma espécie de “doença psychological” pós-moderna e, que, nesse sentido, deve ser combatida – buscando-se a cura do indivíduo por ela acometido – com o uso sistemático de remédios, conhecidos estes como “antidepressivos e/ou estabilizantes do humor, etc.”
Na unidade II, de uma forma crítica, desenvolveremos as nossas proposições sobre a chamada Indústria da Felicidade, específica das sociedades pós-modernas capitalistas, caracterizando-a com as ideias de:
1-“Patologização da tristeza”;
2-Formação de uma espécie de “sociedade dos hipocondríacos”, entendida esta como sendo uma forma ideológica de alavancar e sistematizar, em escala international, a chamada “Indústria Farmacológica e/ou da venda de remédios (em especial os dos chamados antidepressivos e/ou ditos “estabilizadores de humor”).
Na unidade III, saindo do plano das explicações médicas-científicas (psiquiátricas e/ou psicológicas) – que entendem e definem a tristeza profunda, angústia e/ou depressão como doença –, entraremos nas perspectivas epistemológicas de outras três correntes, que trazem outras interpretações, a saber:
1-As antropológicas neoevolucionistas (isto é, aquelas que procuram atrelar a ideia de angústia, tristeza profunda e/ou depressão, não como doença, mas como um processo de caráter evolutivo, isto é, de novas exigências sociais de adaptabilidade humana). Nesse sentido, partindo-se das proposições de Charles Darwin, veremos como é que pesquisadores da chamada corrente neoevolucionistas procuram compreendê-la como uma espécie de “mal necessário”, ou seja, como se ela, a chamada angústia, depressão e/ou tristeza profunda, além de não ser exatamente uma doença, tivesse também um chamado “lado bom.”
2-As de fundamentação teológica, ou seja, aquelas que associam a angústia, depressão e/ou a tristeza profunda às causas dos chamados men da alma e/ou do espírito, sendo a mesma, por eles, entendida também como sendo o resultado do afastamento do homem de Deus, fruto do pecado e/ou da impossibilidade (não se tendo fé) de se querer compreender, pela razão, aquilo que só seria possível de ser entendido por meio da fé.
3-As filosófico-existencialistas, isto é, aquelas que associam a angústia, depressão e/ou a tristeza profunda às consequências específicas de uma suposta “existência inautêntica” e/ou então de uma suposta “condição humana desumana”, entendidas, pelos chamados filósofos da corrente existencialista, como uma espécie de náusea, desespero e/ou então de angústia social profundas, sintetizadas pela ideia da “perda do sentido da existência”.
III
Esperamos que, essa obra, de alguma forma, possa contribuir à formação de uma geração não somente mais saudável do ponto de vista físico e/ou psychological (orgânico), mas também espiritual, já que, em filosofia, ideia significa o mesmo que espírito.

Show description

Read Online or Download A INDÚSTRIA DA FELICIDADE: A TRISTEZA SISTEMATIZADA COMO DOENÇA & A APOLOGIA DO VÍCIO EM ANTIDEPRESSIVOS (Portuguese Edition) PDF

Similar consciousness & thought books

The Gift of the White Tigers: Discovering Happiness and Purpose in Life

Because the sunrise of storytelling, parables have captivated listeners and readers with classes of human adventure. The reward of the White Tigers combines the legacy of parables with state of the art self-actualization know-how. the adventure to knowledge and realizing during this magical tale leads readers down a course of discovery that would enhance their lives.

Shared Agency: A Planning Theory of Acting Together

People act jointly in attribute methods, and those different types of shared task topic to us greatly. ponder friendship and love, making a song duets, dancing jointly, and the thrill of dialog. and consider the usefulness of dialog and the way we often have the capacity to interact to accomplish advanced ambitions, from construction constructions to placing on performs to constructing very important ends up in the sciences.

Philosophy and Working-through the Past: A Psychoanalytic Approach to Social Pathologies

At definite moments in his political essays, Kant conceives of socio-historical emancipation as a technique of operating ourselves out of pathological legacies, suggesting that emancipation may contain a means of operating via our affective attachments to entrenched, regressive social preparations.

Moral Emotions: Reclaiming the Evidence of the Heart (Studies in Phenomenology and Existential Philosophy)

Winner, 2015 CSCP Symposium Book AwardMoral feelings builds upon the philosophical conception of people all started in Phenomenology and Mysticism and marks a brand new degree of phenomenology. writer Anthony J. Steinbock unearths personhood interpreting key feelings, referred to as ethical feelings. ethical feelings bargains a scientific account of the ethical feelings, defined the following as satisfaction, disgrace, and guilt as feelings of self-givenness; repentance, wish, and melancholy as feelings of hazard; and trusting, loving, and humility as feelings of otherness.

Extra info for A INDÚSTRIA DA FELICIDADE: A TRISTEZA SISTEMATIZADA COMO DOENÇA & A APOLOGIA DO VÍCIO EM ANTIDEPRESSIVOS (Portuguese Edition)

Sample text

Download PDF sample

Rated 4.62 of 5 – based on 43 votes